6.4.10

Corrigindo uma falta gravíssima: a ausência do Mia Couto na lista de autores deste blog. Não, nunca li Mia Couto. Mas a Mari falou, tá falado. E ela sabia que o trecho que ela selecionou pra mim ia me fazer ficar maluca pra postar.

“No meu caso, não, a ausência me deixa submersa, sem acesso a mim. Este é o meu conflito: quando estás, não existo, ignorada. Quando não estás, me desconheço, ignorante. Eu só sou na tua presença. E só me tenho na tua ausência. Agora, eu sei. Sou apenas um nome. Um nome que não se acende senão em tua boca”.

Um comentário:

Mariana disse...

Eeeeeeeeeeeee....eu sabia que você ia gostar, querida. É fabuloso. Vou te dar um Mia de presente na próxima vez que nos vermos. Saudadona, tá? Beijocas.