31.8.11

‎"Amor superficial a gente ama em cima do edredon. Lençol é coisa muito séria".
Tati B.
Pérolas do atendimento com crianças: "Bom é ser eu, que sei latir e falar. O cachorro só sabe latir, tadinho".

29.8.11

‎"Louise: But I need you!
Ian: You haven't needed me for years! You're superwoman, you make more money than me, you can fix anything, you can bench press more than me.
Ian: Alright, I don't need you. But I love you. Isn't that better?"

Via Ana Barroso, não sei de onde. 

25.8.11


Blade Runner Waltz
Em mil novecentos e oitenta e sempre,
ah, que tempos aqueles,
dançamos ao luar, ao som da valsa
A Perfeição do Amor Através da Dor e da Renúncia,
nome, confesso, um pouco longo,
mas os tempos, aquele tempo,
ah, não se faz mais tempo
como antigamente
Aquilo sim é que eram horas,
dias enormes, semanas anos, minutos milênios,
e toda aquela fortuna em tempo
a gente gastava em bobagens,
amar, sonhar, dançar ao som da valsa,
aquelas falsas valsas de tão imenso nome lento
que a gente dançava em algum setembro
daqueles mil novecentos e oitenta e sempre.

Paulo Leminski

21.8.11

Abre o teu coração
ou eu arrombo a janela.


Chico Buarque
Destruição

Os amantes se amam cruelmente
e com se amarem tanto não se vêem.
Um se beija no outro, refletido.
Dois amantes que são? Dois inimigos.

Amantes são meninos estragados
pelo mimo de amar: e não percebem
quanto se pulverizam no enlaçar-se,
e como o que era mundo volve a nada.

Nada. Ninguém. Amor, puro fantasma
que os passeia de leve, assim a cobra
se imprime na lembrança de seu trilho.

E eles quedam mordidos para sempre,
deixaram de existir, mas o existido
continua a doer eternamente.

Carlos Drummond de Andrade

16.8.11

‎"Enquanto o sujeito não está pensando nisso, os símbolos continuam acavalando-se, copulando, proliferando, fecundando-se, trepando, rasgando-se".


Lacan, 1954-1955.

11.8.11

Me habituei ao pão light
À vida sem gás
O meu café tomo sem açúcar
E até ficar sem comer
Sem te ver
A gente custa mas se habitua.

7.8.11

... eu te murmuro, eu te suspiro. Eu, que soletro teu nome no escuro.