15.5.12

E como ficou chato ser moderno. 
Agora serei eterno. 

(C. D. Andrade).

Nenhum comentário: