29.2.08

"O direito à felicidade passa a ser promovido pelo encontro com um objeto substituto oferecido pelo mercado, o que assegura a solidão do consumidor, acompanhada da rivalidade com o outro, sempre potencial comprador do melhor isso ou aquilo"


FERRARI, Ilka. A solidão e o funcionamento dos sujeitos em tempos de inovação frenética".

Nenhum comentário: