5.3.08

De todas as coisas infinitas que o Fer me deu, uma das melhores é um sobrinho: o Dedé, agora com sete anos, por quem sou completamente, absurdamente, irremediavelmente apaixonada - e devo dizer, orgulhosa, que minha paixão é correspondida.
Abaixo, o registro de uma cena protagonizada por ele há dois anos:
.
- Mãe, a gente é rico ou pobre?
- A gente não é pobre não, André...
- Então rico a gente também não é!
- Não, André. A gente não é rico mesmo, mas nós temos tudo que precisamos.
- Tá, mas como faz pra ser rico, mãe? Demora muito?
- Demora sim, André. E tem que trabalhar muito...
- Quanto precisa pra ser rico? Precisa de muito dinheiro? Mais do que tá na minha poupança?
- Precisa de mais sim, Dedé. Mas você não tem que...
- Eu tenho mais 66 centavos em moeda aqui! Serve?
(alguns segundos depois)
- Mãe! Eu tenho pressa de ser rico...

Nenhum comentário: