1.9.08

Debussy
Manuel Bandeira

Para cá, para lá . . .
Para cá, para lá . . .
Um novelozinho de linha . . .
Para cá, para lá . . .
Para cá, para lá . . .
Oscila no ar pela mão de uma criança
(Vem e vai . . .)
Que delicadamente e quase a adormecer o balança
— Psio . . .
—Para cá, para lá . . .
Para cá e . . .
— O novelozinho caiu.

Nenhum comentário: