12.2.09

O “interesse público” é reduzido à curiosidade sobre as vidas privadas de figuras públicas e a arte da vida pública é reduzida à exposição pública de questões privadas e a confissões de sentimentos privados (quanto mais íntimos, melhor).

BAUMAN, "Modernidade líquida", p. 46.

Nenhum comentário: