2.2.09

Poema
Manoel de Barros

A poesia está guardada nas palavras - é tudo que eu sei.
Meu fado é o de não saber quase tudo.
Sobre o nada eu tenho profundidades.
Não tenho conexões com a realidade.
Poderoso para mim não é aquele que descobre ouro.
Para mim poderoso é aquele que descobre
as insignificâncias (do mundo e as nossas).
Por essa pequena sentença me elogiaram de imbecil.
Fiquei emocionado e chorei.
Sou fraco para elogios.

2 comentários:

JuMar disse...

"Poderoso para mim não é aquele que descobre ouro.
Para mim poderoso é aquele que descobre as insignificâncias"

Grande! O que realmente é difícil e valioso na vida: conhecer os detalhes (as insignificâncias) de cada pessoa e das coisas.

filos disse...

escutei esse poema do manoel de barros na voz do antonio abujamra, no programa provocações, da tv cultura... e ele não saiu mais da minha cabeça... menos pela declamação grave e apocalíptica do abujamra (uma figura ímpar), do que pela simplicidade impactante da mensagem do poeta... vou postar algumas palavras sobre ele no meu blog (filosofoamador.blogspot.com), se consenguir dizer mais do já disse...