27.10.04

o que parece morto aduba
o que parece estático espera.

Adélia Prado

Nenhum comentário: