26.1.09

Ai, o amor jamais foi um sonho. O amor, eu bem sei, já provei, é um veneno medonho.
É por isso que se há de entender que o amor não é um ócio. E compreender que o amor não é um vício,
o amor é sacrifício,
o amor é sacerdócio.

.
Chico Buarque, "Viver do amor". Versão da peça "Ópera do malandro" (há uma outra versão, feita para o filme).

Nenhum comentário: