12.1.09

Arte de navegar
Eugenio de Andrade


Vê como o verão
subitamente
se faz água no teu peito,

e a noite se faz barco,

e minha mão marinheiro.

Um comentário:

Pedro disse...

Interessante. Não conhecia o autor.