2.8.09

Ausência
Sophia de Mello Breyner


Num deserto sem água
Numa noite sem lua
Num país sem nome
Ou numa terra nua

Por maior que seja o desespero
Nenhuma ausência é mais funda do que a tua.

3 comentários:

Anônimo disse...

Lindo

Admirador disse...

Eu te admiro, sabia?Não como mulher, ou melhor dizendo, não como uma mulher 'pra mim'.Mas como pessoa.Tens uma inteligência e um ar de tranquilidade que me faz querer entrar aqui sempre.
És a cultura, inteligência e suavidade em forma de gente.
Felizes aqueles que possuem a chance de conviver com você!

Felicidades!

Anônimo disse...

VIAJOU E NEM ME AVISOU, RATA! Tô na torcida pra vc ter conseguido resolver tudo no Rio como vc queria. Depois manda noticia. Tô em BH, se for ficar até + tarde dou um toque pra gente ir pra BQ junto.
Abção,
Flávio