23.8.09

Pro William Castilho, que hoje me disse, com ar de pai: "você ainda não ultrapassou a curvatura que separa um modo de viver muito fluido, muito livre, do ponto em que a gente passa a se submeter às instituições, a ser mais fixo". Era uma espécie de bronca, mas eu achei bonito demais o que ele falou.
Ps: o William não faz a menor idéia do que seja um blog, muito menos de que este blog aqui exista.

Escolha
Lya Luft

Apesar do medo
escolho a ousadia.
Ao conforto das algemas, prefiro
a dura liberdade.
Vôo com meu par de asas tortas,
sem o tédio da comprovação.

Opto pela loucura, com um grão
de realidade:
meu ímpeto explode o ponto,
arqueia a linha, traça contornos
para os romper.

Desculpem, mas devo dizer:
eu quero o delírio.

2 comentários:

Anônimo disse...

Tive aula com o William Castilho, uma figura ímpar e já lendária.
Um abraço, Dri
Leandro Costa

Ci disse...

Espetacular!
Dri, para o William e pra mim, mesmo que sem querer...
Obrigada
beijos Ci