9.7.05

O Fer foi pra bem longe e me levou com ele.

Soneto do amor como um rio
Vinícius de Moraes

Este infinito amor de um ano faz
Que é maior do que o tempo e do que tudo
Este amor que é real, e que, contudo
Eu já não cria que existisse mais.

Este amor meu é como um rio; um rio
Noturno, interminável e tardio
A deslizar macio pelo ermo

Em que seu curso sideral me leva
Iluminado de paixão na treva
Para o espaço sem fim de um mar sem termo.


*****

Leminski

você está tão longe
que às vezes penso
que nem existo

nem fale em amor
que amor é isto

Nenhum comentário: