18.1.08

Fernando Pessoa

Contemplo o lago mudo
Que uma brisa estremece.
Não sei se penso em tudo
Ou se tudo me esquece.
O lago nada me diz,
Não sinto a brisa mexê-lo
Não sei se sou feliz
Nem se desejo sê-lo.
Trêmulos vincos risonhos
Na água adormecida.
Por que fiz eu dos sonhos
A minha única vida?

Um comentário:

Gravata disse...

O autor do hino nacional brasileiro deve ter buscado inspiração aí.

Enquanto no poema de Fernando Pessoa o "lago mudo" é uma coisa genial, em nosso hino as "margens que ouvem" são algo pra lá de cafona :D