16.3.10

Do blog do Pe.

"Só elas sabiam como pesava o homem que amavam com loucura, e que talvez as amasse, mas que tinham tido que continuar a criar até o ultimo suspiro, dando-lhe de mamar, mudando-lhe as fraldas borradas, distraindo-o com historinhas de mãe para lhe aliviar o terror de sair de manhã e dar de cara com a realidade. E no entanto, quando o viam sair de casa instigado por elas próprias a enfrentar o mundo, então eram elas que ficavam com o terror de que o homem não voltasse nunca. Isso era a vida. O amor, caso houvesse, era uma coisa à parte: outra vida."

Gabriel Garcia Marquez, "O amor nos tempos do cólera".

2 comentários:

Mariana disse...

Ah Garcia Marquez do meu coração. Mora nele ao lado do Neruda.

Marina Liv disse...

Afff, tua irma?
Mas alguem da tua familia pra eu ficar apaixonada... :)