30.3.10

Sujeito indireto
Paulo Leminski

Quem dera eu achasse um jeito
de fazer tudo perfeito,
feito a coisa fosse o projeto
e tudo já nascesse satisfeito.
Quem dera eu visse o outro lado,
o lado de lá, lado meio,
onde o triângulo é quadrado
e o torto parece direito.
Quem dera um ângulo reto.
Já começo a ficar cheio
de não saber quando eu falto,
de ser, mim, sujeito indireto.

2 comentários:

Pedro Henrique disse...

Adorei, e vou roubar.

rhcastelobranco disse...

Olá! Em primeiro lugar queria dizer que adorei seu blog!
Queria também lhe convidar a visitar o meu sobre livros: http://literaturasdomundo.blogspot.com/
E me seguir se gostar!
Livros é tudo!
Voltarei por aqui!
Bjos