5.1.11

"Pensei
conheço-a tão bem
vivemos juntos há tanto tempo

conheço
a sua cabeça de pássaro
os seus braços brancos
e o seu ventre

até que um dia
num fim de tarde de Inverno
sentou-se à minha frente
e à luz do candeeiro
por detrás de nós
vi uma orelha rosada

uma cómica pétala de pele
uma concha com sangue vivo
por dentro

não disse nada então -
teria sido bom escrever
um poema acerca de uma orelha rosada
mas as pessoas diriam
que assunto foi ele escolher
está a tentar ser excêntrico

pelo que ninguém sorriria
pelo que compreenderiam que eu proclamo
um mistério

não disse nada
mas nessa noite quando estávamos na cama
delicadamente provei
o gosto exótico
de uma orelha rosada"


-"Escolhido pelas estrelas" - Zbigniew Herbert

Nenhum comentário: