15.7.09

O mundo que venci deu-me um amor
Mário Faustino

O mundo que venci deu-me um amor,
Um troféu perigoso, este cavalo
Carregado de infantes couraçados.
O mundo que venci deu-me um amor
Alado galopando em céus irados,
Por cima de qualquer muro de credo,
Por cima de qualquer fosso de sexo.
O mundo que venci deu-me um amor
Amor feito de insulto e pranto e riso,
Amor que força as portas dos infernos,
Amor que galga o cume ao paraíso.
Amor que dorme e treme. Que desperta
E torna contra mim, e me devora
E me rumina em campos de vitória...

Um comentário:

Créme de la Créme disse...

Você sabe que tem piorado muito minha vida? (kkkkk). Brincaceira! Mas quando vejo um texto aquí e não conheço o autor, lá vou eu numa busca do danado daquele autor que escreve coisas tão lindas. Portanto, vamos a caça de Mário Faustino.
Melhoraram da gripe?
Beijo grande
Romina