13.1.06

Amor robô
Jacques Prevért

Um homem escreve à máquina uma carta de amor e a máquina responde ao homem e à mão como se fosse a destinatária
Tão aperfeiçoadas as máquinas
a máquina de lavar cheques e cartas de amor
E o homem confortavelmente instalado na sua máquina de morar lê com a máquina de ler a resposta da máquina de escrever
E na sua máquina de sonhar com a sua máquina de calcular compra uma máquina de fazer amor
E na sua máquina de realizar os sonhos faz amor com a máquina de escrever com a máquina de fazer amor
E a máquina o engana com o mecânico
Um mecânico que morre de rir.

Um comentário:

Raquel disse...

perfeito